[ Idiomas > Apresentação > Novidades > Castração ]


Novidades Tropicats

Castração


A ESTERILIZAÇÃO: uma escolha de donos responsáveis
Tradução do artigo do Dra. Catherine Kretz – Veterinária/FRANÇA
Tradutor: Prof. Dr. Antônio Ferreira Pereira/UFRJ-Brasil

 

Você ama os gatos: então isso vai para você mesmo, que é descuidado e cruel de deixá-los reproduzir sem controle, e por conseqüência, levar a uma produção de gatinhos que estarão jurados a um destino miserável. Quais são então as soluções para limitar os nascimentos nas espécies felinas?

A esterilização é uma intervenção que tem como resultado prevenir definitivamente ou não a procriação. Este resultado pode ser obtido de dois modos, médico ou cirúrgico. A esterilização médica é aplicada exclusivamente à fêmea. Esta forma de contracepção não seria usada para a vida inteira da fêmea, mas pode constituir uma solução passageira aceitável. Os contraceptivos orais são análogos da progesterona (acetato de megestrol, MAP, proligestona). A "pílula", a qual muitos donos são favoráveis, deve ser administrada regularmente (em geral uma vez por semana); atenção redobrada para os esquecidos, que cuidam das gatas! As formas injetáveis estão cada vez mais seguras e desprovidas de efeitos secundários. Elas são administrados pelo veterinário, em intervalos de vários meses, depois de um exame geral. Estes medicamentos ocasionalmente têm efeitos secundários (parada definitiva dos cios, patologia uterina, e principalmente diabete). Os métodos de esterilização cirúrgica são então muito mais seguros.

Uma solução definitiva

Para esterilizar cirurgicamente uma fêmea, o cirurgião pratica a retirada dos ovários (ovariotomia). Às vezes, por razões diversas, geralmente com a descoberta de lesões deste órgão (hiperplasia, cistos, infecções... ou gestação plena) no per-operatório (durante a operação), o veterinário prefere fazer uma ovário-histerectomia que é a remoção dos ovários e útero de uma só vez. É muito frequente a chegada de donos, que por analogia ao que acontece nas espécies humanas, pedem uma ligadura de trompas em suas gatas. A intervenção, na realidade um pouco diferente, consiste em uma secção das trompas. Saibam bem que, não mais que a vasectomia nos machos, esta cirurgia não tem outra vantagem que conduzir uma esterilidade: estas fêmeas continuarão atraindo os machos e talvez urinando (como machos) durante seus cios. No caso dos machos, só a retirada dos testículos (castração) leva de uma vez por todas o fim dos impulsos sexuais e uma infertilidade. Existe outra intervenção, a vasectomia, que consiste em secionar os canais deferentes, que são responsáveis pelo transporte do sêmen dos testículos até a uretra; esta cirurgia gera um gato infértil mas não modifica seus hábitos sexuais; esta cirurgia possui poucas indicações, excluindo talvez o caso da esterilização grátis em campanha de controle de populações de gatos livres; saibam que a vasectomia não previne as saídas furtivas e nem as brigas com outros machos. Usualmente, praticam-se estas intervenções depois da idade habitual da puberdade. Para a fêmea, os primeiros cios acontecem geralmente na primavera, por volta do mês de março (*Nota do tradutor: devemos lembrar que o texto é traduzido do francês e por isso, as nossas estações do ano são DIFERENTES, ou seja, a nossa primavera começa no final de setembro). Se as fêmeas nascem mais cedo, no ano precedente, elas terão então um (01) ano, mas se, por outro lado, elas nascerem no outono, talvez terão seus cios com seis meses, ou às vezes menos. No caso do macho, ele faz suas primeiras tentativas de cobertura a partir do sexto mês, embora geralmente ele só é fértil a partir de um ano (ATENÇÃO: há algumas exceções!). Quanto mais cedo você intervir, mais os comportamentos sexuais desagradáveis (marcações urinárias, fugas...) terão sido resolvidos. Então, mesmo não querendo se precipitar para ir ao cirurgião, considerando que seu companheiro pode ser UM só um gatinho, não demore muito: seis a oito meses parecem uma idade razoável. Alguns gatinhos e gatinhas são esterilizados bem mais cedo (3 a 4 meses) por várias razões, principalmente nos locais de abrigos para animais abandonados; esta esterilização precoce não parece provocar nenhuma desordem patológica. As inconveniências da castração e da ovariotomia são mínimas. Poderíamos dizer que a mais “grave” delas é o fato de não ser reversível: sua decisão deve ser irrevogável antes de intervenção, porque depois de iniciada a cirurgia, não dá para mudar de opinião! Um pequeno felino esterilizado, devido a uma diminuição de suas necessidades energéticas, até mesmo não sendo gasta para achar um parceiro sexual, pode ter tendências a engordar: você, que é o dono responsável, deve ter cuidado e lhe fornecer uma alimentação equilibrada e adaptada em quantidades razoáveis; o veterinário que operou seu gato deverá aconselhá-lo no que diz respeito a uma comida especialmente formulada para os gatos castrados de apartamento ou casa.

QUAL MÉTODO ESCOLHER????
 

Tipo de Contracepção

Vantagens

Desvantagens

 

Fêmea:

Ovariotomia ou Ovariohisterectomia

Definitiva, eficaz, pouco dispendiosa. Prevenção de doenças dos ovários e útero. Prevenção de certos tumores mamários

Tendência a engordar. Perda de pêlos (excepcionalmente). Incontinência urinária (excepcionalmente)

 

 

 

 

Fêmea: Secção das trompas, Histerectomia sem ovriotomia

 

 

 

 

Definitiva, eficaz, pouco dispendiosa.

Persistência dos incovenientes ligados ao comportamento sexual (jatos de urina, vocalização, fugas). Nenhuma prevenção contra doenças do trato genital nem de tumores mamárias. Risco provável de metrites nos casos de secção das trompas

Fêmea: Pílulas

Temporário (nem sempre). Eficácia assegurada. Corta o cio de tempos em tempos. Sem decisão operatória a tomar.

Esquecimentos. Administração difícil.

Esterilidade definitiva, filhotes mau-formados. Diabete, obesidade. Distúbios de comportamento. Metropatia. Tendência a tumores mamários.

 

 

 

 

 

Macho: Castração

 

Definitiva, eficaz, pouco dispendiosa.

Supressão da maior parte dos comportamentos sexuais e de suas consequências (brigas, ausências longas).

Odor urinário menos forte.

Segue-se um caráter mais calmo.

 

Tendência a obesidade.

Perda de pêlos (excepcionalmente).

 

 

 

 

Macho: Vasectomia

 

 

 

Definitiva e eficaz.

Persistência de todos os incovenientes inerentes aos machos inteiros.

Diminuição da expectativa de vida em razão dos riscos ligados a procura de parceiros sexuais.